domingo, 28 de maio de 2017

João Rosa de Castro - Zum


ALICERCE


Aqui onde o mar encanta,
O inconsciente se configura num calabouço próprio
E doma o mundo que me envolve.
Perde o fio da meada.
Esquece o significado da saudade.
Renova cada átomo suspenso.

A intuição que falha e exagera
Leva-me a pensar multiplicado.
Força-me a saber tudo errado.
Forma fila de saudáveis companhias.

E tudo tem peso,
E tudo tem cor,
E nada adianta,
E nada resolve ou decide o meu destino.
É só seguir mesmo por onde passa o meu corpo.

Linha reta e círculo
Círculo e linha reta.
Assim vou entrando e saindo das cidades
A fim de ajudar a girar esse mundo de girar.

domingo, 21 de maio de 2017

João Rosa de Castro - Zum

ACORDO

Se eu me escondo atrás da loucura,
Você se esconde atrás do pecado.
Se eu me escondo atrás do pecado,
Você se esconde atrás da loucura.
Estamos quites. Estamos quites.
Os extremos não se encontram.
Não sou malabarista de Deus.

domingo, 7 de maio de 2017

João Rosa de Castro - Zum


RESPIRAÇÃO

Pra que amores bandidos
E o aroma do crime
Se aqui neste lugar de fumaça colorida
Somos tantos e somos um?

Um guardando memórias de Vitória da Conquista
Que se cruzam com calores de Juazeiro da Bahia.

E a agulha fura a roupa.
E a roupa o infinito.

Ah Cici! Ah Jojô! Quantos cabem ao seu redor?
Vamos todos para uma ilha distante.
Eu ficarei escondido, brincando com o imaginário,
Lembrando o adeus da menina.

Ei, vocês distantes!
Todos cabiam em nós,
Mas nós não cabíamos no mundo.
Por isso ninguém respirava.

João Rosa de Castro - Persona Non Grata

O DIÁRIO Anda por ruas estreitas que dão na avenida. Vê os passantes apressados esperando o sinal. Frisa que sabe onde é norte – pr...