Marcadores

domingo, 2 de julho de 2017

João Rosa de Castro - Zum


CARTAS NO CHÃO

Em tom de boas-vindas a vida recebeu-nos.
E nosso único desejo era existirmos plenos.
Cada um na sua ilusão,
Cada um na sua solidão,
Cada um no sossego escolhido
Para que a indispensável aleluia
Fosse ouvida de longe.

A dança dos andares
Escrevia nas calçadas.
Cada passo, um destino novo,
É aonde se quer chegar:
Aonde o passo imprime a ordem.
É marcha, é dança é andança.

Volátil andar a jato.
Portátil alma de um corpo.
Notável o nosso jogo
De insights lentos e tácteis.

Quanta arrumação num átimo.
Quanta possibilidade houve
Numa só noite de festa