domingo, 24 de dezembro de 2017

João Rosa de Castro - Bis

PENHA DE FRANÇA

Por que enxugar as lágrimas
Que ainda não foram choradas?
Por que entender a angústia
Que ainda não foi vivida?

Guarde o seu lenço para o futuro conturbado,
Que embora não exista, não sai da minha cabeça.
O açoite tecnicolor da dança do nosso mundo.
A monótona reinvenção de tudo o que vimos ontem.
A visão da caverna escura e tudo mais que nos assusta
Faz sentir os dias festivos de uma maneira vazia.

Vamos nos erguer a partir de nós mesmos
Percebendo o sorriso até nos gestos mais simples.
Porque a alegria é o que buscamos,
E a tristeza é de onde fugimos.


Caro leitor,

Se me leu apenas uma vez em poesia, e se toda semana os leitores do Lume d’Arena são diferentes, tenho realmente muitos leitores, ainda que evasivos, desistentes de mim.
Mas se me lê toda semana, terei poucos leitores em número, ainda que cúmplices e qualitativamente amigos.
Seja lá como for, ainda que me houvesse apenas um único leitor no blogue, me sentiria inspirado por afetos de lealdade e por vínculos humanísticos a dizer agora para além do verso deste livro que venho publicando por estas últimas semanas de 2017, nomeadamente: Bis.
Encontro-me no início do processo de publicação tradicional e impressa do meu livro Santa Maria d’Oeste. Trata de opúsculo epistolar em que o remetente fala, através de cartas, a seu psicólogo (o destinatário) sobre suas impressões da vida, as quais não puderam ser abarcadas ou escutadas nas sessões de psicanálise.
Ainda não sei a data nem o local em que o lançamento será realizado. Mesmo assim, convido-o a estar presente no encontro para nos vermos olhos nos olhos e, quiçá, travarmos uma amizade mais intensa do que é esta do leitor com o autor.
Se for um leitor habitual, peço que divulgue o acontecimento vindouro entre seus amigos para que possamos todos juntos erguer a taça da Literatura com todas as suas sentimentalidades e afetos. Tão logo descubra onde e quando será o lançamento, informarei por aqui mesmo. 
A partir de hoje, todos os domingos, acrescerei um pequeno texto semelhante a este tratando de diversos assuntos que possam ser do nosso interesse na ocasião!

O seu autor: João Rosa de Castro.


24/12/2017

João Rosa de Castro - Persona Non Grata

O DIÁRIO Anda por ruas estreitas que dão na avenida. Vê os passantes apressados esperando o sinal. Frisa que sabe onde é norte – pr...