João Rosa de Castro - Adeuses


A MADEIRA
           (a Eduardo Frota)

Pula o cano de madeira,
pula a espessa mangueira
para vê-la até ao fim.
A água nela se filtra
No fim dá mina límpida.
As curvas que ela faz no peitoril
Lembram a serpente e a peçonha,
Marcam o caminho escondido
Dos seres que rastejam e procuram.

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum