domingo, 3 de novembro de 2013

João Rosa de Castro - Alma Nua

POEMA RETIRADO DA MILIONÉSIMA NOITE INSONE

Ele era verme,
Foi se virando, se virando
Virou lagarta,
Foi se virando, se virando,
Virou borboleta macho,
Foi se virando, se virando,
Virou pássaro,
Foi se virando, se virando,
Virou urso,
Foi se virando, se virando,
Virou macaco,
Foi se virando, se virando,
Virou homem,
Agora se vira, se vira, se vira.

João Rosa de Castro - Amor Grátis

MIRAGEM (a Cruz e Souza) Enfim um mundo em que se faz livre, Respirando o ar escolhido, Alheio às falas estridentes e distantes, ...