domingo, 10 de novembro de 2013

João Rosa de Castro - Alma Nua

À NISE DA SILVEIRA

Cheguei para partir logo,
Voltei e revi meus discos,
Chorei nessa despedida,
Mantive as luzes acesas,
Ninguém viu o que eu pensava,
Notei o cheiro das flores,
Pintei o meu desalento,
Somei o pesar ao riso,
Formei uma face nova,
Desci daquela montanha.

João Rosa de Castro - Amor Grátis

BREVE Falsa saudade corrói o peito do homem-criança. Quiçá a casinha, Quiçá a amarelinha, Quiçá virá o inferno ou o céu Como ce...