Marcadores

domingo, 28 de maio de 2017

João Rosa de Castro - Zum


ALICERCE


Aqui onde o mar encanta,
O inconsciente se configura num calabouço próprio
E doma o mundo que me envolve.
Perde o fio da meada.
Esquece o significado da saudade.
Renova cada átomo suspenso.

A intuição que falha e exagera
Leva-me a pensar multiplicado.
Força-me a saber tudo errado.
Forma fila de saudáveis companhias.

E tudo tem peso,
E tudo tem cor,
E nada adianta,
E nada resolve ou decide o meu destino.
É só seguir mesmo por onde passa o meu corpo.

Linha reta e círculo
Círculo e linha reta.
Assim vou entrando e saindo das cidades
A fim de ajudar a girar esse mundo de girar.