Marcadores

domingo, 26 de agosto de 2012

João Rosa de Castro - Adeuses

SISTEMAS DE EMBURRECEÇÃO

Quem é burro levanta a mão!
Oitenta por cento da sala levanta.
Peguemos os vinte, ponhamos para cá.
E os oitenta ficam à direita.
Um tijolo do lado do outro,
No meio da sala burramente.
O cimento entre os tijolos.
Fileiras artesanais até ao teto.

Dois mestres: um para lá.
Esse de cá fica para os inteligentes.
A parte pequena se concentra,
A parte grande sequer fala.
A parte grande faz festa, canta, paquera.
A parte pequena faz conta, conjeturas, análises.

O coordenador dos grandes toma nota e adverte.
O coordenador dos pequenos traz biscoito e refrigerante.
A idéia boa de outra parte que se assenta
Facilita a vida dos coordenadores.

O diretor, observando a eficácia,
Convida um amigo para a outra metade.
Faz-se então um muro, que divide a escola.
São uns para lá, uns para cá.
Daí, são duas escolas.
Daí, são dois hemisférios.
Se há diálogo,
Se há simetria,
Há geografia para separar.

Passados anos, os burros são robustos,
Têm suas famílias, administram as juntas.

Os inteligentes, com espírito fino,
Esquecem a saída dos seus labirintos
E expiram pensando:
“Por que não levantei a minha mão…?”!