domingo, 15 de setembro de 2013

João Rosa de Castro - Alma Nua

A QUEDA

Tudo lembra tudo,
Mas tudo há que ser esquecido.
É bom reviver, renascer, reconstruir
O que foi destruído
E o que foi desconstruído.
O grande júbilo
Espalhado pelo chão
Em mil e um pedaços
Para que os braços
E as mãos e tudo mais no corpo
Possam juntá-los
Num monumento novo,
Tornando-os, assim, uma alegre alegria,

Uma alegria alegre.

João Rosa de Castro - Amor Grátis

BREVE Falsa saudade corrói o peito do homem-criança. Quiçá a casinha, Quiçá a amarelinha, Quiçá virá o inferno ou o céu Como ce...