domingo, 8 de dezembro de 2013

João Rosa de Castro - Flores do Pântano

MINOTAUROS

Despedida de quem não foi encontrado.
Um beijo no espaço vazio – um abraço no nada,
Que é o desejo por tudo,
Por todos os corpos
Por todas as bocas.
Tudo misturado à água do cântaro
Para saciar uma sede rara e mortal.

João Rosa de Castro - Amor Grátis

BREVE Falsa saudade corrói o peito do homem-criança. Quiçá a casinha, Quiçá a amarelinha, Quiçá virá o inferno ou o céu Como ce...