Marcadores

domingo, 2 de março de 2014

João Rosa de Castro - Flores do Pântano

OS DEUSES ENFASTIADOS

Lentamente
Os frutos aguardam o outono
E os pensamentos a robustez do meu coração.

Lentamente
As imagens que vejo se transformam
No que meu olhar busca.
Sinto-me rejuvenescer rindo da própria fortuna.
As pessoas me vêem como um ente de rara presença.

Lentamente
Os carros ficam mais velozes
O povo se atropela nas calçadas estreitas,
Os manos dançam bombados, cheirados, extasiados, nas raves mais nervosas ao luar.
As minas copiam afoitas os gestos das melhores
E a beleza mais uma vez se oculta na coletividade.

Lentamente
Giram as bobinas dos jornais, depressa e mais depressa.
As operárias rasgam o frango aos milhares em uma única hora.

Lentamente

O mundo visto à distância torna sonolentos os deuses enfastiados.