João Rosa de Castro - Flores do Pântano

O LUTO ACABOU?

Fora deste raio de visão,
Tudo acontece.

Ser dócil sem ser femínio.
Ser útil sem ser o estorvo.
Solidão sem lamento.
Andar na areia sem deixar pegadas.
Não crer em grandes multidões.
Distinguir o pensamento puramente seu.

Tudo é possível
Quando não choramos pelos que partem.
A dor do luto,
A flor do lodo,
O calor que sufoca.

O que dizer, vida, da vida?
O que pensar, vida, da morte?

A saudade aquece
As lágrimas que caem.
A saudade é um fato,
Não só um sentimento.
A saudade é a ausência
De uma voz alada,
De um olhar amado,
De um sorrir cantando,
Um conversar dançando –
Parado, exangue.

Fora deste raio de visão,
Tudo entontece.
Aqui, estou atento,
Olhando as horas,
Que a cada minuto
Me afastam

Dos que amei.

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum