João Rosa de Castro - Flores do Pântano


HY BRASIL
            (a Geraldo Cantarino)

O cume da ilha Brasil purpúrea e sombria,
O verde claro de auroras acumulando,
A esperança que toma minha alma vazia,
Pelo tempo, pelos ventos, por dias nefandos,
Agora é a luz no fim do túnel que arrepia.
Eu vi na radiância calma e pura rompendo,
Da praia da ilha Brasil que vem brilhando,
Qual o brilho da estrela guia assomando
E tornando mais bela a passagem fugidia
Para os confins da liberdade acenando.
Viva a paz na ilha Brasil noite e dia,
Onde as últimas estrelas sentem o mar tocando,
Quais as mãos e os dedos tocam a tez macia
E o orvalho matutino sente a pétala descendo.
Fico na ilha Brasil que há tempos eu não via,
Curar corpo e alma há muito sofrendo
Sofreres inúteis do amor sem alegria.
Na ilha de ouro vou-me sumindo

Para a eterna juventude que no mundo é arredia.

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum