João Rosa de Castro - Flores do Pântano

COLDPLAY

Para rebeldes sem causaCabeludos sem casaArcanjos sem asaAstronautas sem NasaA quem queimou-se na brasaÀ mulher que atrasaO calor que abrasaPro casal que casa.Pruma mente rasaFazer o que arrasa.Pro cadáver que jazaVivo ou morto em GazaPra que o doido do PlazaFaça tábula-rasaDa ação que infernizaPra que toda ojerizaOu daqui ou de IbisaSeja o que ruborizaO semblante da BrisaPara o homem que frisaQue é for him ou for JesusQue uma pele tão lisaA minha mão eternizaPara quem mais polemizaA canção que exorcizaO ardor que intronizaO amor que ironizaO meu pé que pisa.

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum