João Rosa de Castro - O Sonho de Terpsícore - Com Prefácio de Carmen Liz Vieira de Souza


NÚBIA PREFERIU PARIR



Olha como eu salto viva.



Olha como eu bailo solta na caverna.



Com todo o cuidado de não pisar nas estalagmites.



Eu sou ainda capaz de calar,
De sussurrar,
De falar,
De cantar,
De gritar,
De agredir,
De matar.


Nunca atingi uma estalactite.
Nem com a minha ambição,
Nem com a minha propensão para o voo.



Pari o avião por amor de que todos voem,
Com meus pés,
Com minhas pernas,
Com minhas asas.


Olha como sou linda a bailar…
Olha como sou linda…
Olha como sou…

Olha!

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum