Marcadores

domingo, 15 de março de 2015

João Rosa de Castro - Paisagens Oníricas - Com Prefácio de Olga Maria Gonçalves

CARNAVAL SEM FOLIA




Estou cansado de mim.



Como quereria olhar ao espelho e ver outro alguém!



Eu nunca estou feio, nunca estou belo.



Quem perderia de mim?



Quem me derrotaria?



Tornei-me um homem sem face.



Um homem sem homens.



Um homem sem um – um que me ensinasse tudo.



Tudo o que fosse bom aprender.



Onde está minha infância?



Por onde andará minha adolescência?



Não sei mais regra de três.
Não sei mais o que é transitivo,



Meu mundo fechou e nada nem ninguém mais transita.



Congelou-se o mundo
E as esculturas escrevem…!