João Rosa de Castro - Paisagens Oníricas - Com Prefácio de Olga Maria Gonçalves


LOUCURA A DOIS




Cuida que há uma aranha no porta-jóias.



Há um diabo no teu quarto
E um veneno no bocal do telefone.



Cuida que há um ladrão atrás da porta.



Há um frio que chega outonal
E uma chuva no teu casamento.



Cuida que há um motorista embriagado
Esperando atravessares a rua,
E tu podes não enxergá-lo.



Cuida que há caruncho no feijão,
Há um bicho na goiaba;
Pilhéria na televisão.



Cuida que Helena tem uma visita
Indesejável qual um morcego,
E pode partir reclamando da comida.
Cuida que há um cancro no teu corpo
E se morreres morrerás
Sem que possas me encontrar.



Cuida que o voo está atrasado,
A aeromoça ressabiada,
Há parafuso solto.



Cuida que todo cuidado é pouco.



E ainda podem te ver nua na Internet.



Em cada clique impera um louco.



Cuida que eu preciso ir-me embora
Não há anjo que me renda –

Mas vem razão depois da aurora!

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum