João Rosa de Castro - O Erê - Com Prefácio de Rosângela Rodrigues Ferreira


VIVENDO

O leite toca o palato
E os pés ardem.
A minha seriedade é tão inabalável que choro.
Você me acaricia, faz brincadeiras com canções e fonemas.
Mas não alcança agradar-me.
O que é isto que é o mundo?
O seio, a boca, o queixo, sim, dizem.
O perfume e a maciez da pele encantam.

Canta de novo, rainha.
Conta o teu sonho em silêncio.
Por que me olhas com medo?
Sai de mim e vem para mim.
Me embala e me esquece.
Seja uma e outra a um só tempo.
O ar que inspiro e arremesso.
Cumpra, pois, o impossível.
Traduza agora o indizível.

O leite vacila na língua.
Os lábios desenham paisagens.
O deus faminto e voraz
Que sou, que penso e resisto,
De colo em colo resido,
Querendo, amando e sendo.
E se aproximam e eu temo

Num gesto de persistir.

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum