João Rosa de Castro - O Erê - Com Prefácio de Rosângela Rodrigues Ferreira

O BRINQUEDO


Colorido e incessante
Produzido e vacilante.
Tungstênio e flor de lis.
Eu sou tão aceso.
Eu sou tão afoito.
Eu sou super-homem
Na minha ilusão.

Aqui chove, chove.
E faz frio, frio.
Ser da esperança,
Ser do fim-futuro,
Ser uma criança
Pesa mais em mim.

Dá minha chupeta!
Dá o meu chocalho!
Dá o meu castelo!
Que aqui eu mando.
Entra e sai ligeiro
Pois aqui impero.

Frontispício abissal
Precipício de águas
Cachoeira e o que vem depois.
Tudo minha praia,
Tudo meu brinquedo,
Tudo no luar,
No tear
Em mim.

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum