João Rosa de Castro - O Erê - Com Prefácio de Rosângela Rodrigues Ferreira

A ROSA


Bossa! Que não que não é nova.
Possa eu levitar na fumaça.
Seja pra mim uma resposta.
Penso mais que o livre-pensador.
Cheiro o pano cheio de talco.
Vibro com o futebol na tela.
Rio com carnavais ardentes.
Sinto a mãe aqui tão perto.
“Froide descansava de férias no arpoador.
Enquanto isso, eu aproveitava para mamar.”
Ninguém via o que era escondido.
Ninguém maldava isso.
Era um absurdo insinuar que um anjo...

Mostra o que há atrás da cortina.
Nossa! Um alemão de transa.
Cuida que eu inda não dizia.
Mente para passar os dias.

Postagens mais visitadas deste blog

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum

João Rosa de Castro - Zum