Marcadores

domingo, 4 de outubro de 2015

João Rosa de Castro - O Erê - Com Prefácio de Rosângela Rodrigues Ferreira

O PASSO


Um passo!
E o segundo com as mãos soltas.
Já posso ir sozinho aonde está o amor.
Ir é um verbo infinito.
Os meus pés ferem a terra com inocência.
Terra, eu. Eu, terra. Terra, eu. Eu, terra.
Mundo simples que se apresenta.
Terra virgem que atrai sementes.
Morna manhã de setembro.
Mulheres passando apressadas.
Eu de pé, perdido,
Escolhendo objetos pelas cores,
Me assustando fácil
Com os gestos abruptos.
Marcha!
Samba tocando na vitrola.
O ébrio perdido na viola.
Tudo o que eu já posso buscar.
Um aroma brasileiro no ar.

Um passo é um destino que começa.