Marcadores

domingo, 22 de novembro de 2015

João Rosa de Castro - O Erê - Com Prefácio de Rosângela Rodrigues Ferreira

O TAMBOR


Luciana tá dodói.
Eu quis ser seu herói.
Sem sarar, tudo ela vem e destrói.
A irritação de Luciana
Promove catástrofes cósmicas.
É preciso ser de papel
Pra não temer o grito de Luciana.

Luciana jejua.
Quer se tornar uma santa
E molhar os olhares com o que pensa sofrer.

Luciana não é capaz de amar ninguém absolutamente.
Quando percebe que está sendo amada - desaparece.

Luciana me deixa curioso.
Luciana me deixa furioso.

Engole com a vulva o som dos tambores.
Não carece do meu olhar sem tanto ritmo.

Luciana tá dodói,
Mas chora por outras razões.