domingo, 17 de abril de 2016

João Rosa de Castro - O Cio da Pedra

A NEBLINA

Uma consciência.
Uma atenção.
Um sorriso.
Uma casa.
Uma perspectiva.
Uma visão.
Um só olhar.
Uma única voz.
Um singelo desejo.
Um trono.
Uma coroa.
Uma reputação.
Um juízo.
Uma aquarela.
Um só relógio.
Um ticket.
Um futuro.
Uma alegria.
Uma estrada.
Um só destino.
Um só brinquedo.
Uma canção de ninar na memória.
Uma infância para assistir.
Uma relíquia.
Um mundo só.
Um horizonte apenas.
Um pulso de vida.
Uma promessa.
Um oceano.
Um barco.
Uma prenda.
Um [só] fôlego.

E dois filhos.

João Rosa de Castro - Amor Grátis

RODA QUADRADA Procuro em meu ser um poema Limpo e irretrospecto, Doce e útil, E não encontro. Um pedaço de pensamento Livre d...