Marcadores

domingo, 15 de maio de 2016

João Rosa de Castro - O Cio da Pedra

A PRIMAVERA

Se as rosas te afligem, eu te darei violetas.
Se as violetas te assustam, eu te trarei margaridas.
Se as margaridas exaurirem, eu encomendo tulipas.
Se as tulipas te traírem, procurarei as orquídeas.
Se as orquídeas te cansarem, manifesto com lisianthus.
Se os lisianthus forem altos, busco os kalanchoes.
Se os kalanchoes não disserem, eu direi coisas com cravos.
Se os cravos se calarem, perceberei com papoulas.
Se as papoulas não sararem, vitórias régias te saram.
Se as vitórias não vencerem, eu falarei por crisântemos.
E se depois dos crisântemos,
E se depois das papoulas,
E se depois dos cravos,
E se depois dos kalanchoes,
E se depois dos lisianthus,
E se depois das orquídeas,
E se depois das tulipas,
E se depois das margaridas,
E se depois das violetas,
E se depois das rosas,
E se depois de ver um mundo verdejante ao seu redor com borboletas;
Se depois de cores espalhadas com perfume para ti, não creres ainda na minha existência certa, irei em pessoa para te visitar.