domingo, 15 de abril de 2018

João Rosa de Castro - Amor Grátis

BREVE

Falsa saudade corrói o peito do homem-criança.
Quiçá a casinha,
Quiçá a amarelinha,
Quiçá virá o inferno ou o céu
Como cenário ao seu redor.

A vida foi feita para que a floresta não significasse tanto.
As ruas e os respectivos endereços.
A favela que desce,
A praça frequentada por amantes ao luar.

Todas as idéias animam o homem-criança.
Os ritmos de dança,
As histórias de andança.
Rapunzel e seu vestido,
A demora do trigo,
A noção de castigo,
A saudade do nada.
O coração sem amores, batendo por sangue.
Um pizzicato solto no salão,
Na hora de partir
Para o cárcere da sala de estar.


O SONHO DE TERPSÍCORE

Num quadro de 1739, de Jean Mark Nattier, vejo-a como que tendo inspirado Eugène Delacroix para “A Liberdade Guiando os Homens”. Estou falando de Terpsícore, a deusa da dança. E meu sonho fora ver encenado este livro, “O Sonho de Terpsícore”, que escrevi no começo de 2013.
O sonho passou. Agora basta que o livro seja lido. Trata da vida, das sensações, das emoções, dos pensamentos, dos sentimentos de alguns bailarinos brasileiros diante das dificuldades que deve ser manter ativa e altiva a memória da melhor das artes. 
Núbia e Rachel aparecem logo no segundo poema, a bailar e a palrar. A condenar a dança como produto de vitrine.
Depois surge Flora. Bastarda. Que nem com a palavra “Dança” se cansa. Dança pra si mesma. Ainda Cesário, construindo a sintaxe do chão, tinha sua própria essência se confundindo com a do espaço.
Fabiano poderia ser apenas homem. “Mas overman, mas houvesse quem o superasse na contemplação das nuvens.”. Quantas mulheres não dariam filhos a ele! Ele, o pequeno e forte sertanejo!
Estranhamente, a obra termina com um poema delirante, que realmente não fazia parte do espetáculo. Daí as cortinas terem se fechado. Mesmo assim, dançaremos lendo, e ouvindo, este belo manifesto, que não me sai da cabeça. Outro motivo de orgulho!

O seu autor,
João Rosa de Castro.

João Rosa de Castro - Amor Grátis

O MACRO-AMOR Um encontro de idéias paralelas E o brilho nos olhares que se buscam. Eu te amo Em todo o entrelaçamento possível ...